Comprometida com a atual tendência mundial de preservar o meio ambiente, a Quaker® tem demonstrado no processamento e na fabricação de atum enlatado a preocupação com a preservação dos golfinhos. Por isso o Atum Coqueiro® é DOLPHIN SAFE.

De um extremo ao outro do mundo, milhares de produtos derivados do processamento do atum são comercializados independente do sistema de pesca. No entanto, países como EUA, Suíça e Alemanha, atuantes em relação à preservação dos golfinhos, não comercializam atum que não seja DOLPHIN SAFE.

O Brasil também está caminhando no sentido de adotar essa atitude, apesar de não existirem ainda leis que proíbam a entrada no país de atum (inteiro ou processado) resultantes da pesca predatória e portanto não DOLPHIN SAFE.

O atum Coqueiro
® processado pela Quaker® é o "skipjack tuna", conhecido cientificamente como katsuwonus pelamis, o mais abundante entre as espécies de atum capturadas na costa brasileira.

O "skipjack tuna" atinge até 70 cm de comprimento, 7 a 8 kg de peso e possuí hábitos oceânicos, formando grandes cardumes. Esta espécie está presente praticamente durante todo o ano no sudeste e sul do Brasil, onde são capturadas cerca de 12 mil toneladas/ano. Em todo o mundo a captura média de "skipjack tuna" é de 700 mil toneladas/ano.

A captura de atum pode ser praticada empregando-se diferentes técnicas de pesca: redes de cerco (purse seines), redes de deriva, espinhel (long-line) ou ainda a pesca com vara, linha e anzol. O desconhecimento das diferenças entre cada modalidade de pesca pode gerar a incorreta interpretação de que a pesca de atum sempre provoca a morte dos golfinhos.

No Oceano Pacífico Tropical, golfinhos e atuns vivem numa associação em que se ajudam mutuamente a localizar presas e assim se alimentarem. Em função dessa convivência os golfinhos servem como indicadores de cardumes de atum. Nessa região, a captura de atum com rede de cerco (purse seines) foi responsável pela matança de mais de 7 milhões de golfinhos nos últimos trinta e cinco anos.

As redes de deriva também representam uma grande ameaça pois "varrem" o oceano matando grande parte da vida marinha que esteja em seu caminho, inclusive tartarugas, aves e mamíferos, dentre os quais, incidentalmente cerca de 1 milhão de golfinhos e baleias são mortos em redes de deriva a cada ano.

O espinhel de superfície (long-line) também pode, acidentalmente, capturar golfinhos, porém, numa escala insignificante se comparada aos métodos de pesca com rede. No entanto, a pesca com isca viva, vara, linha e anzol é a técnica de captura de atum mais seletiva de todas, sendo a única que não representa nenhuma ameaça aos golfinhos e demais mamíferos.

O conceito "DOLPHIN SAFE", assegurado ao Atum Coqueiro
® através do certificado do IBAMA, é garantido pelo sistema de pesca utilizado.

O Atum Coqueiro
® é DOLPHIN SAFE por processar atum pescado com o método mais seletivo e que protege, além dos golfinhos, um contigente de diversas espécies de peixes, tartarugas, aves e mamíferos marinhos. Apesar de resultar em menor produtividade, esse método diferenciado de pesca de atum praticado no Brasil é a segurança da proteção aos golfinhos.

O selo DOLPHIN SAFE nas latas de Atum Coqueiro
® garante que o consumidor do nosso produto não está causando danos aos golfinhos.

Novos caminhos para aperfeiçoar o que comemos são o resultado da aplicação de recursos consideráveis por empresas atentas aos consumidores e à garantia de melhor performance.

As pessoas desejam comer atum porque é gostoso e saudável e querem continuar admirando o golfinho, esse animal inteligente e amistoso que povoa os mares e nossas lendas. O que elas não desejam é o efeito negativo provocado pela pesca predatória que infelizmente acontece.

O futuro parece bem claro: mais e mais pessoas no mundo inteiro estão substituindo o atum em lata, sem controle de origem, pelo produto DOLPHIN SAFE. Se você se preocupa com o nosso planeta, saiba que o Atum Coqueiro
® tem a garantia de não estar colaborando com nenhuma agressão aos golfinhos.


Atum Coqueiro® é DOLPHIN SAFE.